A influência europeia

europeia.jpg

A Bahia ainda guarda diversas características da colonização e influência dos portugueses, nos aspectos cultural, político, administrativo e na arquitetura de estilo barroco português dos casarios, solares e prédios públicos do Centro Histórico, além de dezenas de igrejas e templos católicos, datados  dos séculos XVI e XIX.

Desde a chegada de Tomé de Sousa, na antiga Vila do Pereira (onde é hoje o Porto e a Ladeira da Barra), região do primeiro donatário da capitania da Bahia, Francisco Pereira Coutinho, a capital baiana cresceu seguindo os padrões e a orientação do então rei de Portugal, Dom João III. As primeiras construções foram edificadas na parte alta da cidade com o objetivo protecionista. Nos casarios, solares e prédios públicos, os colonizadores portugueses fincaram a sua marca arquitetônica em estilo barroco em uma infinidade de construções no atual Centro Histórico de Salvador, tombado pela Unesco como patrimônio da humanidade, em 1985.

Mesmo com todas as influências europeias nas construções e edificações erguidas em Salvador, os povos indígena, negro e os mestiços cederam também algumas técnicas, vistas como rudimentares para a arquitetura lusitana, que foram utilizadas em prédios públicos, como o da Câmara Municipal de Salvador. Nesta edificação foram utilizadas técnicas indígenas de massapé e taipa. Apesar disso, o domínio português sempre foi mais evidente. Estas e outras edificações sofreram modificações estruturais para receber as características do estilo lusitano.

Salvador e outras cidades da Bahia mantêm características portuguesas, mas possuem também forte influência dos povos indígenas, dos negros e dos mestiços. Grande parte da culinária, das manifestações artísticas, culturais e religiosas no Brasil é de origem indígena, negra e mestiça. A mistura entre as culturas, que gerou a identidade brasileira, incorporou novos elementos influenciados por elementos culturais e artísticos indígenas e dos negros escravos. Até a língua portuguesa sofreu inúmeras alterações, incorporando aspectos miscigenados.

Nesse mosaico cultural, além da arquitetura, destacam-se, como influência dos europeus, os ritos e rituais da Igreja Católica, aspectos do folclore, como músicas e danças, e a culinária relacionada às caldeiradas (ensopados com verduras variadas), os pratos à base de bacalhau, e, principalmente, os doces.

Bahia.com.br
Copyleft 2018