Pré-história e aventura em Morro do Chapéu

Morro-do-Chapu-ferro-doido-Foto-Rita-Barreto-(3902).jpg

Distante 390 km de Salvador, Morro do Chapéu possui mais de 10 sítios que reúnem pinturas em grutas e pedras, com uma infinidade de cachoeiras, paredões, desfiladeiros e a maior concentração de orquídeas da Bahia. A cidade, localizada a mais de 1.000m de altitude, é também o paraíso dos fãs de esportes radicais, rota certa para a prática de rapel, mountain biking, trekking e cavernismo.

A Toca da Figura, na região do Ventura, possui uma paisagem composta por blocos de rocha que formam abrigos e tocas em meio ao vale. Os grandes painéis do sítio mostram homens enfileirados, animais em movimento, cenas de caça e homens subindo em árvores. As pinturas da Toca da Figura combinam no mesmo desenho cores diferentes, como vermelho, amarelo, marrom e branco.

Perto dali, a Toca do Pepino é um grande abrigo, que deve ter sido utilizado por caçadores;  é composto por um grande paredão, com cerca de 90 metros, repleto de pinturas. As pinturas nas paredes indicam um conjunto de imagens da Tradição Nordeste, com figuras humanas bem pequenas, um grande grupo de homens enfileirados e cenas compostas por rituais que incluem homens com cocares e ferramentas, como cestas, tacapes e lanças.

A Gruta da Boa Esperança, a 53 km de Morro do Chapéu, agrupa pinturas rupestres e possui uma espécie de altar que sugere ter sido espaço para rituais religiosos. No Lagedo Bordado, às margens do Rio Salitre, as artes rupestres aparecem em uma rocha, onde também encontram-se pegadas de animais. Para quem se interessa por paleontologia, a Toca dos Ossos, em Ourolândia, é um local repleto de fósseis.

Outras Opções

Bahia.com.br
Copyleft 2019