Hã-hã-hães, Tuxás e Tupinambás

27-01-2009-foto-Robson-Mendes---Agecom-273-copy.jpg

Do Extremo-Sul, em direção a Salvador, os interessados no Turismo Étnico-indígena podem ainda conhecer as aldeias dos Tupinambás de Belmonte e os de Olivença, em Ilhéus, além dos Pataxós Hã-hã-hães de Itaju do Colônia, Itapebi e Pau Brasil, que vivem na Reserva Caramuru-Paraguaçu, localizada na Costa do Cacau. Mais abaixo, no chamado Baixo Sul, zona turística da Costa do Dendê, encontram-se os Pataxós Hã-hã-hães, de Camamu, assentados na Fazenda Bahiana. Trata-se de uma dissidência da Reserva Caramuru-Paraguaçu, cujas facções entraram em conflito e, em 1987, acabaram por se desmembrar.

A Nordeste e a Norte do Estado encontram-se diversas tribos da nação Cariri, estabelecidas em áreas que abrangem os municípios de Glória, Rodelas, Paulo Afonso, Sobradinho e Euclides da Cunha. São Tuxás, Kaimbés, Pankararés e Atikuns, remanescentes dos Cariris e de uma das tribos mais conhecidas: a dos Tamoquins, conhecidos também como Trukás.

Para conhecer a cultura remanescente dos índios da nação Cariri, o visitante deve se deslocar até o município de Paulo Afonso. Ali, empresas especializadas e guias de turismo autônomos oferecem pacotes e passeios que englobam visitas às tribos indígenas, prática de esporte de aventura e contemplação da vegetação nativa: a caatinga, além de roteiros históricos inesquecíveis, como o Raso da Catarina, onde Lampião e Maria Bonita registraram parte de suas histórias.
 

Outras Opções

Bahia.com.br
Copyleft 2017