Peregrinação religiosa no Morro da Lapa

A fé pede passagem e ecoa por todos os cantos de Bom Jesus da Lapa. Todos os anos, a cidade recebe cerca de 700 mil turistas em romarias de agradecimento às graças alcançadas e na busca por novas bênçãos. Julho, agosto e setembro marcam o início das novenas em homenagem a Bom Jesus, quando se intensificam ainda mais as procissões e romarias. O mês de agosto é o momento de maior visitação, quando, no dia 06, é consagrado o santo padroeiro.
É no Morro da Lapa que está localizado o grande monumento religioso da cidade. Com cerca de 93 m de altura, mais de 15 grutas servem de cenário para a contemplação divina. As principais atrações são as grutas do Bom Jesus (com 50 m de comprimento, 15 m de largura e 7 m de altura) e a Gruta de Nossa Senhora da Soledade (com mais de 1.000m²).
Considerado um “Santuário Religioso”, o morro abriga também as grutas de Santa Luzia, de Santo Afonso, da Ressurreição, de Belém, dos Santos Mártires, Santa Helena, Nossa Senhora Aparecida, São Geraldo e São Geraldo do Santíssimo Sacramento. Para onde quer que se olhe, esculturas, representando a Via Sacra, contrastam com blocos de calcário corroídos pela erosão da água e o resultado é um patrimônio arquitetônico em perfeita harmonia com as imagens instaladas e reverenciadas desde o século 17, em um ambiente da mais pura devoção. Na Gruta de Bom Jesus, uma larga torre, em meio ao adro, lembra um castelo medieval. Guarnecido por representações em bronze dos doze apóstolos, o local marca o início da odisséia cristã pelo Morro da Lapa.
A Gruta de Nossa Senhora da Soledade, como o próprio nome sugere, é palco de crenças religiosas em nome da santa, cuja imagem ocupa lugar de destaque no altar, seguida por quatro esculturas em bronze, representando os Quatro Evangelistas como parte da oferenda por uma graça alcançada. O belo cenário sagrado é complementado pela exuberância do “Velho Chico”, que corre aos arredores da gruta e cuja visualização é possível graças a três grandes janelas abertas para as cercanias. Considerada de poderio divino, inúmeros milagres são atribuídos ao potencial religioso da Gruta, que continua servindo como local de oferendas até os dias de hoje. Os votos são depositados na “Sala dos Milagres”, por detrás do altar.
Mais adiante, na gruta de Santa Luzia, a imagem da santa de mesmo nome reina sobre uma estalagmite a 10 metros de altura, com um conjunto de estalactites em forma de leque ao fundo. A peregrinação termina no topo do Morro, em meio à vegetação da caatinga. É lá que estão o Cruzeiro e a última estação da Via Sacra. A vista panorâmica de toda a região é simplesmente deslumbrante e vale, por si só, o passeio. O local conta com um ponto de apoio mantido pela prefeitura para a venda de água mineral e refrigerantes
 

Bahia.com.br
Copyleft 2019